www.sem-idade.com
Portal do Avô - home homequem somoscomo anunciarnewslettercontactos
Directório de Serviços DEZ 17


Últimos Anunciantes:

    NOTÍCIAS



Portugal terá em 2060 3,5 milhões de idosos


Data:  28-08-2008     Fonte:  DN Online



  Eurostat diz que migrações vão evitar quebra de habitantes na UE.

   A percentagem de portugueses idosos - nos grupos etários de maiores de 65 e de 80 anos -, vai aumentar para quase um terço (30,9%) no decorrer das próximas cinco décadas, até 2060, segundo as projecções populacionais divulgadas ontem pelo Eurostat. Uma evolução que, associada ao crescimento global da população - que por essa altura totalizará mais de 11,25 milhões de habitantes - quase duplicará o actual número de idosos em Portugal, de 1,85 milhões para 3,475 milhões.

   É um envelhecimento que se começará a notar no prazo de uma geração: em 2035, um em cada quatro portugueses - à semelhança da generalidade dos europeus - será idoso.

   Dentro deste grupo, será entre os maiores de 80 que se verificará a evolução mais espectacular. Muitos dos que actualmente se encontram próximos dos 30 anos têm bons motivos para acreditar numa vida longa: em 2060, a população octagenária (ou ainda mais velha) terá triplicado os valores actuais, correspondendo a 1,44 milhões de habitantes e 12,79% do total.

   Migração "segura" habitantes

   Apesar do aumento da esperança de vida, a constante quebra da taxa de natalidade acabaria por levar a Europa - e Portugal não fugiria à regra - a uma perda de cerca de 50 milhões de habitantes neste período. De facto, prevê-se que, já a partir de 2015, os óbitos tenham ultrapassado os nascimento. No nosso País, por exemplo, estima-se uma "mudança natural" da população em menos 1,66 milhões de habitantes até 2060. O que permitirá "segurar" e até aumentar ligeiramente a população são os fluxos migratórios, que deverão acrescentar 2,3 milhões de pessoas à população nacional.

   Este factor não será, no entanto, suficiente para evitar a descida populacional em 14 países europeus, com particular incidência em estados de Leste, como a Bulgária, a Letónia, a Roménia e a Polónia, cujas quebras - directamente associadas ao envelhecimento populacional - se situarão entre perto de 30% e 20%. De referir ainda o caso da Alemanha que, ao perder mais de 11 milhões de habitantes perderá para o Reino Unido (que chegará aos 76 milhões) o estatuto de País mais populoso entre os que actualmente compõem a União Europeia.

   No extremo oposto está o Chipre, que terá assistido a um crescimento da população superior a 66%. O Chipre terá também a segunda população mais jovem , após a Irlanda.


<< Notícia anterior               Notícia 195 de 228               próxima Notícia >>


 
Informações Úteis Agenda de Eventos Publicidade

Hospitais Públicos Centros de Saúde Farmácias Serviço Emergências Associações Bibliotecas Museus Parques e Jardins Legislação Pessoas Desaparecidas